Seguidores

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Cordelizando a inclusão

CORDEL DE SAIA e ACADEMIA BRASILEIRA DE LITERATURA DE CORDEL CONVIDAM
para o lançamento do livro Cordelizando a Inclusão, literatura de cordel em braile, que será realizando no dia 21 de dezembro de 2016, na Sessão Plenária da ABLC à rua Teixeira de Freitas, nº 5,3º andar, pontualmente às 16:00h

Autores:
Maria Rosário Pinto, Dalinha Catunda, Gonçalo Ferreira da Silva

Organizadores:
Rosangela Silva (IFRJ);Vanderson Pereira (IFRJ) e Waldmir Araujo Neto (UFRJ)

A publicação é fruto de projeto realizado pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia/IFRJ, Instituto Benjamin Constant e Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ; e, cada autor contribuiu com dois títulos voltados para a inclusão de alunos com necessidades especiais e que desejam conhecer a literatura de cordel. 
Acreditamos que a publicação será de interesse para professores e alunos da rede pública e privada de ensino.
Contamos com a presença de poetas, professores e dos amigos.


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O BRASIL ESTÁ LASCADO COM TANTA CORRUPÇÃO.

DALINHA CATUNDA
O Brasil perdeu o rumo
Virou antro de bandido
O povo está perdido
E é quem mais leva fumo
Professo nesse resumo
Da justiça a inversão
Pra se defender ladrão
Processa-se magistrado
O BRASIL ESTÁ LASCADO
COM TANTA CORRUPÇÃO.
*
MANDACARU VERDE
O Brasil esta perdido
Roubar já virou cultura
Quebrou toda estrutura
O sistema esta falido
O nosso povo sofrido
Pagando caro inflação
Ladrão acusa o ladrão
Quase todos são culpado
O BRASIL ESTÁ LASCADO
COM TANTA CORRUPÇÃO.
*
Mote de Mandacaru Verde
O BRASIL ESTA LASCADO

COM TANTA CORRUPÇÃO.
Xilo de Carlos Henrique

O VOO SEM VOLTA DA CHAPECOENSE

O VOO SEM VOLTA DA CHAPECOENSE
 *
O Brasil acordou triste
É bem grande a comoção
O sonho chegou ao fim
Decolou mas foi ao chão
A Chapecoense amada
Terminou sua jornada
Num desastre de avião.
*
Lamenta o Brasil inteiro
Chora Santa Catarina
Chapecó chora seus entes
Como o fado determina
Que Deus pai possa ajudar
E consiga confortar
Quem vive esta triste sina.
*
Versos de Dalinha Catunda

Ilustração: DUQUE – O TEMPO (MG

domingo, 27 de novembro de 2016

AS MULHERES DO CORDEL: Mariane Bígio

*
Eu adoro o São João
Uma festa tão bonita
Bandeirinhas e balão
Moça com laço de fita
Chapéu de Palha, rapaz
Tudo isso e muito mais
Que você nem acredita!
 *
Mas o que eu mais gosto mesmo
É a danada da comida!
É cada coisa gostosa
Como eu nunca vi na vida!
Um cheiro bom na cozinha
Sempre peço uma provinha
Pois sou muito atrevida!
*
Mariane Bígio | Formada em Comunicação Social, com habilitação em Rádio e TV na Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Locutora, repórter, produtora, montadora e diretora, poeta e declamadora no grupo Vozes Femininas. Membro da UNICORDEL (União dos Cordelistas de Pernambuco). Em 2009, dirigiu e montou o videopoema experimental Corpo Urb que trata sobre os conflitos interiores de uma mulher angustiada frente a sua “urbe” caotizada.

Pesquisa e postagem de Dalinha Catunda

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

MULHERES DO CORDEL: SUSANA MORAIS

MULHERES DO CORDEL: SUSANA  MORAIS
 *
Gírias e falares regionais
*
Me orgulho do nordeste
Eu também sou brasileiro
Meu lugar é rico e lindo
E tem festa o ano inteiro
Leia todo esse cordel
Que vai aprender ligeiro.
*
É bonito e caloroso
Nosso jeito de falar
Pelos vícios de linguagem
A gente vai passear
Vou te falar da cultura
Vem comigo bora andar!
*
SUSANA MORAIS nasceu em Recife,
Pernambuco, em 1980. Poeta, cordelista,
recitadora e oficineira de poesia popular. É
sócia fundadora da Unicordel - União dos
Cordelistas de Pernambuco. Foi uma das
vencedoras da 3ª RECITATA - Concurso de
Recital Poético do Festival Recifense de
Literatura em 2008. Foi uma das integrantes
do grupo de recitação Vozes Femininas.
*

Pesquisa e postagem de Dalinha Catunda.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

MULHER TEM QUE TER PEITO

MULHER TEM QUE TER PEITO
*
A mulher tem que ter peito
Para reger a sua vida
Na luta do dia a dia
Deve ser mais combativa
Chega de submissão
Basta de tanta agressão
Reagir é a saída.
1
Nos novos tempos não cabe
Uma Maria das Dores
Sempre dizendo amém
Engolindo dissabores
O momento é de atitude!
De viver com plenitude
E rever os seus valores.
2
Sei que Eva foi à luta
Sem esperar por Adão
Dispensou o paraíso
Mudou a situação
Para poder procriar
Fez a tal cobra fumar
E o homem entrar em ação.
3
Pandora mimo divino
Enviada a Epimeteu
Sendo mulher curiosa
Logo desobedeceu
Liberou tudo que tinha
Dentro da sua caixinha
Só a esperança prendeu.
4
Vamos mudar nossa história
Nela vamos botar fé
Sem sofrer feito Maria
Mãe do rei de Nazaré
Buscando ter igualdade
Contudo sem a maldade
Que se serviu Salomé.
5
Porém pra seguir em frente
Devemos sempre pensar
Em jamais ser submissa,
Respeitar o nosso par,
Conviver em união,
Sem aturar agressão
E amor próprio cultivar.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ipueiras, Nossa Terra seus Autores.




Ipueiras, Nossa Terra seus Autores.
Foi com grande prazer, que recebi o convite da professora Socorro Holanda, para comparecer a Feira de Ciências no Colégio Estadual Otacílio Mota.
Na realidade, não teve como não sentir saudades dos meus tempos de estudante naquele mesmo colégio.
Foi muito gratificante fazer parte deste projeto que ficou em 1º Lugar:
Ipueiras, Nossa Terra seus Autores.
E minha felicidade não poderia ser menor. Eu sempre sonhei com o reconhecimento dos nossos escritores e poetas ipueirenses. Nesse projeto, que eu parabenizo e abraço, me vejo entre Gerardo Melo Mourão, Gonçalo Medeiros, e muito mais! Apareço ao lado de minha mãe Neuza Aragão e de minha Tia Odete Aragão. As duas são poetizas desde sempre. Minha mãe fará 94 anos em Janeiro e minha tia Odete, ontem fez 90 anos. A ela meu abraço e meus votos de longa vida.
Fiquei maravilhada com o interesse dos alunos em relação à literatura de cordel, com a organização dos professores e contente com minha participação.
Só tenho a agradecer a todos.
Dalinha Catunda